EIC
Capotao
Al Autismo

Pesquisar



28 de janeiro de 2017

Acompanhado de assessores diretos, o prefeito de São Miguel, Zé Gaudêncio (PSD), concedeu entrevista na manhã deste sábado, 28, numa emissora de rádio local, para prestar contas à população dos seus primeiros 26 dias de mandato. Ele disse que encontrou a Prefeitura num estado de ‘terra arrasada’, onde a máquina, pra funcionar, vai ter de começar praticamente do zero e com um rombo estratosférico nas finanças.

Zé Gaudêncio destacou que a gestão anterior ficou devendo o mês de dezembro aos professores – e outras categorias profissionais – assim como à Cosern, Caern, empresa de telefonia e outros ‘bichos de sete cabeças’ que estão aparecendo aos poucos, porque elegeu como prioridade quitar, ao apagar das luzes, débitos com alguns prestadores de serviços e fornecedores que, possivelmente, eram alinhados politicamente ao ex-prefeito.

O chefe do executivo também afirmou que a saúde do município estava na UTI e respirando com aparelhos. “Pegamos o hospital sem médicos, como, também, as UBS desassistidas, inclusive sem odontólogos, as equipes dos PSF´s e medicamentos”, declarou o prefeito, acrescentando que está tomando medidas urgentes para que o atendimento volte à normalidade num curto espaço de tempo. “De início, com a chegada das médicas cubanas, vamos botar cinco equipes pra funcionar”, pontuou.

No tocante à educação, Zé Gaudêncio enfatizou que, além da gestão anterior ter fechado escolas da zona rural, também fez a rede de ensino perder mais de dois mil alunos e isso significa prejuízos incalculáveis para o município, que vai ter menos recursos pra investir nessa área essencial da administração pública. Ele ainda disse que a frota do transporte escolar está totalmente sucateada.

“Vamos reabrir escolas localizadas nas comunidades rurais para que as crianças e adolescentes que moram ali não precisem se deslocar à sede do município”, frisou o gestor micaelense, que conclamou professores, pais e responsáveis a matricular os alunos nas escolas municipais.

Zé Gaudêncio também falou que o governo passado, na tentativa de prejudicar o andamento dos trabalhos da nova gestão, “apagou dos computadores informações importantes e necessárias ao bom funcionamento da máquina pública”, além de não ter sancionado a Lei Orçamentária Anual e de querer empurrar de goela abaixo cargos permanentes para gerir a Previdência Própria dos Servidores Municipais, ato que já foi revogado, assim como incentivos de ISS sem prazo de validade e contrapartidas dos prestadores de serviços beneficiados e o Plano Diretor, repleto de irregularidades ambientais.

O prefeito declarou, ainda, que já foi recolhido “o grosso” do lixo espalhado nas ruas da cidade e que neste domingo, 29, começa a varrição das vias públicas para que o pulmão de São Miguel volte a respirar normalmente.

Sem querer administrar olhando para o retrovisor, o prefeito Zé Gaudêncio deixou claro que era preciso levar ao conhecimento da população essas informações e pedir um pouco de paciência e compreensão no andamento das ações governamentais – caso elas demorem um pouco a se concretizar -, há vista que, tanto na sua vida privada, quanto no serviço público, tudo o que se propõe a executar, “gosta de fazer bem feito”!

Uma resposta para “São Miguel-RN: Numa entrevista, prefeito Zé Gaudêncio disse que gestão anterior deixou a Prefeitura num estado de ‘terra arrasada’”

  1. […] pronunciamento oficial feito no dia 28 de janeiro de 2017, na Rádio São Miguel 104 FM (relembre AQUI), a Prefeitura foi recebida pela atual administração com deficiências em praticamente todas as […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blog do Capote - Rio Grande do Norte - Todos os Direitos Reservados.